sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Terrorismo


Há dias, Paulo Pereira Cristóvão, na sua página do Facebook, publicou algumas palavras cirúrgicas, para que toda a gente pudesse ler.
Dirigiu-se, naquele espaço público, a José Eduardo Bettencourt, a quem dizia “deixa-me que te diga, José Eduardo: ÉS INAPTO PARA A FUNÇÃO, ÉS MIMADO, ÉS RESSABIADO E ÉS O MAIOR ERRO DE CASTING DO DIRIGISMO DESPORTIVO EUROPEU! Graças a Deus que estás de passagem!!!”.
Nessa mesma lógica, continua a escrever aquele que já foi o blogue referência do reino leonino, assim como os jornais que, diariamente, insistem em vender, só, o que é contra o Sporting.
Mas esta onda concertada e terrorista perante o Sporting Clube de Portugal não pára.
Há dias, foi feito um documentário, num canal desportivo sobre um jogador da Academia que passou ao lado de uma grande carreira.
Parece-me evidente que o objectivo subjacente a esse documentário era só um: dizer que Academia Sporting, recentemente distinguida internacionalmente, passou a ser uma academia de talentos perdidos.
O jogador “usado” foi Fábio Paím, que, muito cedo, demasiado cedo quero eu dizer, foi rotulado de super-estrela.
Não chegou lá, como também não chegaram muitos outros jogadores preguiçosos saídos de Alcochete, mas também do Seixal, de Vila Nova de Gaia, de Guimarães, de Braga, de todo o país.
Mas Fábio Paím diz uma coisa naquele documentário que achei curiosa. Diz que já ganhou muito dinheiro, mas que agora SÓ(!) recebe 1000 euros por mês.
1000? Quantos jovens da sua idade recebem, de ordenado, 1000 euros? Há muitos portugueses que trabalharam toda a vida e que nunca chegaram a receber 1000 euros num mês.
Daí que, mesmo querendo fazer passar a ideia contrária, aquele documentário acaba por me fazer sentir uma ideia. Paim é um flop. E um flop, que sai da Academia, tem um salário de um milhar de euros. Paim deve isso ao Sporting e à Academia. A ninguém mais!
O Sporting, além de formar os melhores jogadores do mundo, também promove boas condições de vida aos que não chegaram a esse patamar.
Mas a ideia do documentário é outra. É terrorismo, puro e duro, contra o Sporting. Que faz parte de um projecto terrorista comum que apenas visa acabar, de uma vez por todas, com o Sporting Clube de Portugal.

3 comentários:

Pina disse...

Tem toda a razão sem duvida estou totalmente de acordo consigo.
Tomara eu ter tido a oportunidade de ser jogador de futebol numa academia como a do Sporting ...
Deus dá nozes a quem não tem dentes e se duvida este nosso DEUS o Sporting Clube de Portugal é o unico em portugal apostar nos miudos a tentar ajuda los mesmo sendo estes oriundos de bairros clandestinos e coisas do genero...
Vamos todos juntos APOIAR o nosso clube e quem todos os dias luta pela sua GRANDEZA.

Martinho Sousa disse...

A verdade é que o Sporting falhou com o Paim. Sem dúvida que ele vinha de um contexto difícil, não digo que se tivesse no Benfica ou noutro clube não tivesse falhado devido à sua irresponsabilidade.Mas não digas que o Paim falhou como tantos outros preguiçosos porque nenhum dos outros preguiçosos tinha um quinto do talento deste miúdo.Isso dá-lhe mais responsabilidades mas também por isso o falhanço da academia do Sporting é maior.

FernandoB disse...

Oh sr tenho dito,

sabe do que está a falar?

conhece a história, os factos ?

carros, dividas, etc etc etc...

fale só do que sabe... agradecemos