segunda-feira, 13 de junho de 2011

Depois de Paulo Caetano não ter sido eleito



Paulo Caetano, candidato do CDS/PP por Portalegre, não foi eleito deputado.
Em sua vez, foi eleito um deputado do PSD e outro do PS.
Contudo, importa dizer que esta seria uma eleição importante, já que Paulo Caetano permitiria que, também na Assembleia da República, fossem discutidos alguns dos problemas dramáticos do mundo rural.
Estava, e continua a estar em causa, a defesa da festa brava enquanto património cultural, a defesa e a promoção do Puro Sangue Lusitano enquanto factor de excelência, a defesa da Coudelaria de Alter que vive sérias dificuldades, dificuldades que podem pôr em causa o futuro da coudelaria mais antiga do mundo.
Além da defesa da agricultura enquanto sector estratégico para o futuro, da aposta que se tem de fazer na auto-sustentabilidade e na exportação, é imprescindível que Portugal, através da coligação PSD/CDS, continue atento ao mundo rural, valorizando os recursos de excelência de que dispõe, que são únicos no mundo, mantendo-se próximo das suas tradições e criando condições para os criadores, que podem ser aliados do Estado na promoção do turismo.
Nesse sentido, será importante que quem, nesta coligação governativa, tiver conhecimento de causa possa ser chamado para colaborar com o Governo, com as entidades responsáveis e com os criadores.
A qualidade dos recursos e o potencial dos mesmos impõe essa "chamada" e essa atenção. São precisos todos os esforços. Porque, mais do que pelos criadores e pelas tradições, esta causa é por Portugal.

4 comentários:

Anónimo disse...

Venho a este blog muitas vezes e nunca comentei. Eu gosto da forma arejada como escreve, das ideias que tem e que vai transmitindo com correcção e simpatia.
Eu sou de Lisboa, sempre fui mas uma sobrinha minha é que gosta muito de cavalos. Ela tem um Puro-sangue irlandês e fiquei estupefacta como os irlandeses deixaram que fossem abandonados cerca de 2000 cavalos. É uma raça de saltos, uma das melhores do mundo e foi em altura de crise financeira que se viu que eles não tinham nenhuma política para os cavalos que são também um cartão de visita do país, que favorece o turismo (pelas provas de obstáculos e pela visita de gente que ali vai comprar cavalos de competição.
Em Portugal somos focados noutro tipo de concursos/competições/actividades não sei bem o nome e a nossa raça está completamente abandonada. Em vez disso deviam ser feitos protocolos entre o Estado, as associações, os criadores E TAMBÉM AQUELES QUE FAZEM COMPETIÇÃO!!! É que esses nunca têm patrocínios, não podem fazer disso profissão!
Espero sinceramente que Paulo Portas consiga fazer a ligação urgente entre estas instituições e o governo porque está em causa o trabalho de muitas gerações que ajudaram a conceber e melhorar uma raça sem igual que é a do Puro-sangue lusitano!

Ana Paula Rodrigues

João Santos disse...

Não são só estes os casos -de problemas do sul- que destroem o território português.

Os idiotas/ignorantes que gerem o parque do Gerês estão a destruir o habitat criado pelo homem em mais de 7000 anos de trabalho humano. Em nome da 'bicharada', nem deixam passar as pessoas, nem os gados das inverneiras para as brandas. Resultado: cresce o mato (plantas arbustívas usadas para alimento/cama dos gados)desordenadamente, vem o fogo e lá vai mais uma das florestas antigas da Europa. Floresta, que há milénios é humanizada, ou seja é podada, como um pomar. Mas os ignorantes não sabem arqueo-agricultura, nem da criação de habitats. Aliás os alemães, que são fanáticos por florestas, não deixam crescer árvores na Charneca do Lüneburg, habitat criado no séc. XVII, pois haveria fauna e flora que desapareceriam.

Os estados alpinos estão preocupados com o despovoamento dos Welser, qu deixará os habitats do Alpes com problemas graves.

Já agora como preservar as abetardas em floresta de maquis? Eis uma boa pergunta para os "verdes"!

... disse...

É sem duvida alguma importante a participação activa na politica de uma pessoa tão importante para a festa brava e para o cavalo lusitano em Portugal. Espero desde já que continuo a tentar para os próximos anos e não desanime, porque quem tanto deu e continua a dar ao cavalo e ao toiro foi de ser Paulo Caetano. Os meus parabéns da dedicação pela festa.

... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.