domingo, 27 de maio de 2007

Queremos esta taça!

Para terminar o ano em beleza e para lançar já a próxima época.

sábado, 26 de maio de 2007

Lisboa. Ponto de situação


Resultados Eleições Autárquicas 2005 - Câmara Municipal de Lisboa


PPD/PSD - 42,43%
PS - 26,56%




Primeira Sondagem Eleições Intercalares 2007 - Câmara Municipal de Lisboa


PS - 32,1% (26,5% Brutos)

PPD/PSD - 14,8% (12,3% Brutos)

Carmona Rodrigues -16,9% (14% Brutos)

Helena Roseta - 15,9% (13,2% Brutos)


O PPD/PSD na liderança de Marques Mendes e Paula Teixeira da Cruz pode perder 27,6% em dois anos, sendo a 4ªforça política mais votada. Isto, no que diz respeito às eleições para a Câmara Municipal de Lisboa. O cenário é preocupante. Muito, muito preocupante...


sexta-feira, 25 de maio de 2007

Um camelo e um deserto


"Na margem sul não há cidades, não há gente, não há hospitais, nem hotéis nem comércio."
"Seria necessário deslocar milhões de pessoas."
"A Margem Sul é um deserto."
Estas afirmações podiam ser piadas, se bem que de mal gosto, se não tivessem sido ditas pelo ministro das Obras Públicas, o que torna tudo isto grave e, na minha opinião, se houvesse oposição já não havia ministro. Ou melhor, havia, mas não era este...
Se fosse no tempo do Santana era razão para cair o governo. Camelos!

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Fé abre portas de Alvalade


Foram centenas ou milhares as pessoas que passaram a noite no Estádio José de Alvalade, de terça para quarta-feira.

Eu sou sócio e tenho lugar especial renovado, pelo que tive o privilégio de, com mais 8 ou 10 mil pessoas comprar bilhete para a final da Taça, antes dos outros sócios, na segunda-feira.

Ao meio-dia de segunda-feira já estavam 10 pessoas em Alvalade para comprar bilhete na quarta-feira a partir das 9 da manhã. Pelo que sei, a fila de pessoas que queria comprar bilhete chegava ao pavilhão multidesportivo, o que, para quem conhece o estádio sabe que não é normal. Mas lembra a fila de pessoas para comprar bilhetes para a final da Taça Uefa, contudo julgo que nem esta chegou ao Multidesportivo do Alvalade XXI.

Com a escassez de bilhetes (apenas foram dados ao Sporting perto de 11800 bilhetes, quando o clube tem 35 mil pessoas com lugar cativo no estádio e tem 90 mil sócios), a direcção do Sporting foi pedir explicações à Federação Portuguesa de Futebol, sem resultados. Assim, o estádio de Alvalade estará aberto a partir das 15horas e 30 minutos para todos os sócios e adeptos do Sporting que quiserem ver em boa companhia esta final da Taça.


O jogo começará às 17 horas no Estádio Nacional e caso o Sporting ganhe a Taça, a equipa seguirá para o "Paraíso Terreno", como conhecemos o Alvalade XXI, para a mostrar aos melhores adeptos do Mundo.

"O meu partido é Lisboa"


A frase é de Carmona Rodrigues, que anunciou a candidatura à Câmara Municipal de Lisboa. O candidato independente mostrou-se de consciência tranquila em relação ao Caso Bragaparques e mostrou a sua vontade de terminar uma obra que viu ser parada a meio pela direcção do PSD. No meio de nomes de peso a nível nacional, apresentou com seriedade um caminho para os próximos dois anos para a cidade de Lisboa.
É mais um grande candidato, este sim ganhador, e mais uma dor de cabeça para o PSD, Marques Mendes e Teixeira da Cruz, face a uma ameaça de podermos ver o PSD passar de 1ª para a 4ª força política na cidade de Lisboa. O que, em 2 anos, é pior que péssimo...

O melhor da música...em Oeiras


O melhor da música nacional e internacional vai estar em Oeiras nos próximos dias 8,9 e 10 de Junho. Com este cartaz não é preciso grandes comentários. Apenas registar o quanto é bom viver em Oeiras e que, mais uma vez, Oeiras soma mais pontos...
Para os interessados: o site do festival

El Pipi comanda talentos leoninos


Leandro Atílio Romagnoli nasceu a 17 de Março de 1981, em Buenos Aires, na Argentina. Na época 2005/06 veio reforçar o plantel do Sporting, até ao final da época de 2006/07, num empréstimo acordado entre o Sporting e o Vera Cruz, do México, clube onde jogava o argentino que fora campeão do Mundo de sub-21 pela selecção argentina, sendo considerado um dos melhores do Mundo para Maradona.

Sempre senti um carinho especial pelo Romagnoli. Por isso, no ano passado fiz um estandarte que diz "El Pipi", alcunha do craque, com o número 30 por baixo, número que tem na camisola do Sporting. No final do último jogo do campeonato, em Alvalade, fui ter com o Romagnoli à garagem do Estádio de Alvalade para lhe dar o estandarte, pedindo para que ele ficasse entre nós para a próxima época, visto com o vínculo que o une ao Sporting acaba no final da época que está prestes a terminar. O Leandro sorriu e disse "Si, ficarei, obrigado"...

Curiosamente, neste último mês em que quem gosta de futebol, ficou apaixonado pelo Sporting, Romagnoli foi eleito o melhor jogador da Liga Bwin, no mês de Maio. Entre os 10 melhores, estavam 7 do Sporting: Romagnoli, Liedson, Nani, Veloso, Moutinho, Polga e Rodrigo Tello. Sete é um número mágico, é um número especial para os sportinguistas, tendo em conta a tal amaldiçoada camisola 7, e ter 7 jogadores entre os melhores, neste último mês de campeonato, é notável e deixa uma grande expectativa para o futuro.


Quanto ao Romagnoli: Fica connosco(, depois de ganhares a Taça)...


terça-feira, 22 de maio de 2007

Outro milagre de Fátima


Este final de época fica marcado pelas despromoções do Beira-Mar e do Desportivo das Aves, mas a grande notícia que nos deixa a todos entusiasmados foi o facto do Vitória de Guimarães ter regressado à Liga Bwin, onde tanto merece estar, pela dimensão que o clube tem. Acredito que o Vitória pode crescer ainda mais, podendo lutar por um lugar nas competições europeias na próxima época. Também o histórico Leixões regressou à principal liga portuguesa, depois de 18 anos de ausência.

Esta é uma vitória não só de dois clubes, mas também de dois povos e de duas cidades, tendo em conta que tanto a cidade-berço como a cidade de Matosinhos têm um grande amor por estas duas equipas. Oxalá um dia possamos ter na primeira liga estádios cheios num campeonato só disputado por equipas bem características das suas regiões, como o Sporting, com um público muito específico, o FC Porto, o Vitória de Guimarães, o Setúbal, a Académica, o Leixões e o Braga. Era fantástico que toda a cidade girasse à volta do clube da sua terra.

Também faço votos para que o Algarve consiga fazer com que as suas equipas cresçam, para dar alguma rentabilidade a um estádio que todo o ano tem pouca ou nenhuma utilidade.


Mas a nota que deixo, hoje, em destaque é o Clube Desportivo de Fátima, dessa terra que todos conhecemos tão bem e pela qual temos um sentimento de grande carinho. O Fátima ascendeu à Liga Vitalis, como agora é conhecida a divisão de honra, juntamente com o Freamunde.

O Fátima que havia batido o Real Massamá, fora, por 3-2, recebeu a equipa do Massamá e bateu por 4-1. Isto depois de o Fátima ter realizado uma temporada notável, alcançando o 1ºlugar da Série C, com 18 vitórias em 26 jogos.


Assim, o Fátima parece estar em crescimento e está, já, na liga de honra. E quem sabe, dentro de alguns anos possa estar junto dos grandes, na principal liga do futebol português. É pouco provável, mas eu acredito em milagres e melhor equipa para os fazer não encontro em Portugal.


Parabéns ao Vit. Guimarães e ao Leixões. Parabéns, também, Fátima. E espero ir a Fátima, ver um jogo da Taça da Liga!

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Uma crença, uma fé...


Pois é. O Sporting mesmo com uma recta final brilhante, despede-se do campeonato com uma goleada diante do Belenenses por 4-0, o que, contudo, foi insuficiente para se tornar no novo campeão nacional.

O ambiente que houve em Alvalade no final do jogo foi espectacular. Aos 86 minutos, o público pediu só um golo. Mas os jogadores do Sporting deram 2. Os adeptos, então, levantaram-se e, como acontece em Inglaterra, nomeadamente com o Liverpool, os perto de 40 mil adeptos levantaram-se, esticaram os seus cachecois e as agitaram as suas bandeiras e, todos juntos, cantámos "até morrer, Sporting allez!"... Foi algo nunca antes visto por adeptos portugueses, no que foi um exemplo claro de saber perder. Afinal de contas, o golo que nos foi marcado com a mão fez com que perdessemos este campeonato que todos tanto mereciamos. O Sporting cai, mas cai de pé.
O sentimento que um adepto do Sporting tem, neste momento, é o de que não ganhou o campeonato, mas que também não o perdeu. A equipa cresceu, o treinador evoluiu e o público, esse, é o melhor que há em Portugal. O sentimento que um sportinguista tem não é de derrota, mas de empate, ou melhor, de meia-vitória. Porque há uns meses "estava tudo perdido", tinhamos um orçamento muito mais reduzido, relativamente ao Porto e ao Benfica. O 2ºlugar, a 1 ponto, que sublinho nos foi roubado, por causa de um golo que sofremos, contra o Paços, que foi marcado com a mão, é bom.
Este sentimento reflecte-se em todos os adeptos. Os últimos minutos deste campeonato, quando o Porto já era campeão e quando estava certo o 2ºlugar, foram vistos pelos sportinguistas de pé, com os cachecois no ar e a cantar. Chorar? Para quê? O Porto é campeão, mas viu a vitória contra o Aves, último classificado, mais como um alívio do que como uma conquista de um título. O futuro do Sporting é prometedor e duvido que este campeonato seja suficientemente bom para uma equipa como a do Sporting, mais crescida e com maios maturidade.
O próximo desafio, o último, é contra o Belenenses, na final da Taça de Portugal, no Estádio do Jamor, em Oeiras. Os bilhetes foram postos à venda (já tenho o meu!) hoje, com centenas de pessoas desde muito, muito cedo, para o adquirir. E hoje só estavam à venda os bilhetes para sócios vitalícios ou para sócios com lugar especial renovado. Os restantes sócios só podem comprar na quarta-feira, mas a fila já estava marcada e com mais de uma dezena de pessoas, que lá vão estar até às 9 da manhã de quarta-feira para não perder a conquista de uma Taça que tanto queremos e merecemos.

sexta-feira, 18 de maio de 2007

Oeiras continua mais à frente

Pois é. Este ano, o Festival Académico de Lisboa aconteceu no Passeio Marítimo de Algés, no concelho de Oeiras. Com um bom cartaz, decidi ir ver os Xutos na noite de 11 de Maio. Devo dizer que fiquei surpreendido pelas condições do recinto, pela segurança e pela organização do evento.
Com um palco onde aconteciam os principais concertos, com uma tenda electrónica, com vários bares das diversas universidades lisboetas, entre as quais estava a Faculdade de Direito da Universidade Católica, além dos sempre divertidos carrinhos de choque, este festival deixou-me francamente esperançado em relação ao futuro. Afinal de contas, os melhores festivais de música acontecem em Oeiras e acontecem com uma excelente organização e com uma segurança que não há em vários sítios. Agora vem aí o "Oeiras Alive", festival de música, com um cartaz de grandes nomes da música internacional, no mesmo local.
Mas enfim. Fica, aqui, apenas registado um facto: Oeiras está mais à frente e até os jovens estudantes de Lisboa escolhem Oeiras para realizar os devidos e merecidos festivais.

Uma última nota ao companheiro Luis Cirilo

Em toda a parte, há pessoas más.

Em toda a parte, há pessoas que querem o poder pelo poder.

Em toda a parte, há mentirosos, mal criados, estúpidos e insolentes.

Em toda a parte, há aberrações, pessoas que não servem para nada, que andam cá porque gostam de ser mesquinhos.



Mas, sabe, eu acho que eles se vêm para a blogosfera insultar, se perdem tanto tempo a investigar coisas do passado para "incriminar" as pessoas, a arranjar confusões, etc, é, na minha opinião, porque são mais felizes assim. Eles sentem-se bem, são mais felizes assim! Mas, coitados, ninguém acredita no que eles dizem. Ninguém gosta deles. Por exemplo, acha que se o Marques Mendes se candidatasse a Lisboa, teria mais de 20%? Acha que se Marques Mendes se canditasse e o Carmona avançasse como independente, o PSD não ficaria em terceiro? Eles são uns cobardes, uns mentirosos e uns maricas - sim, maricas, porque quando é para dar a cara, não dão. Têm medo!

Também acho interessante quando uma pessoa se identifica e fala de uma pessoa e logo a seguir, como anónima, pergunta quem é a pessoa de quem tinha falado. Como se ninguém a conhecesse. Mas a essas pessoas, escondidas atrás de computadores e de coisas mal explicadas, ninguém conhece mesmo. Nem lhes devemos dar valor.

Há muito tempo que não comento em nenhum blogue para não ser insultado. Tudo o que escrevo é aqui. Deixei de querer perder tempo com inúteis e só falo deles porque não vou permitir, nunca, que destruam o meu Partido.

Não percamos mais tempo com gente desta, mesquinhos, sem nada na cabeça, sem ideias para o país, sem objectivos. Muito menos, quando são anónimos. Até porque eu dou sempre a cara por tudo o que digo e escrevo na blogosfera.




Um abraço


Tendo em conta que dia 28 de Maio começo os exames e que, por acaso, é o dia a seguir aos meus anos, além de que espero que haja, entretanto, uma conquista do título e da taça por parte do Sporting, comecei a estudar há já alguns dias. Por esses motivos não pude intervir de uma forma mais constante no debate político que se faz na blogosfera. Também por esses mesmos motivos não irei publicar artigos durante algum tempo, pelo menos de uma forma contínua e constante.

Apesar disso, irei estar atento à situação da Câmara de Lisboa e a tudo o que se diga sobre as eleições intercalares que aí vêm. Não compreendo o facto de o PSD estar a querer desviar as atenções dos portugueses para Oeiras, em vez de nos preocuparmos com Lisboa, que é a capital, a Câmara que o PSD pode perder e que, consequentemente, exactamente pela "credibilidade", irá fazer com que Mendes e Teixeira da Cruz se demitam dos seus cargos no Partido.

Porém, se existem prioridades, para mim, as prioridades, neste momento, são os exames. E por isso, repito uma frase de Pedro Santana Lopes que já citei por diversas ocasiões: "eu não estar aqui mas vou andar por aí."...

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Directivo Ultras XXI - 5 anos de apoio ao Sporting


Faz hoje 5 anos que um grupo de adeptos do Sporting decidiu criar uma nova claque de apoio ao clube. Numa primeira fase, o grupo Directivo Ultras XXI assumiu-se como um grupo de adeptos do Sporting, que haviam entrado em ruptura com a Juventude Leonina, por motivos vários, entre os quais a alegada xenofobia ou racismo existente na Juve Leo.

Fui sócio do Directivo nos seus dois primeiros anos. Acabei, com a vinda para o novo estádio, por sair da claque, apesar de ter ido a algumas deslocações com este grupo de adeptos. Não esquecerei o jogo que o Sportnig venceu no Jamor, contra o Benfica por 2-1 nem os jogos no Dragão.

Em 5 anos, o Directivo cresceu quantitativa e qualitativamente e, com a aparente amizade entre todas as claques do Sporting, está a espelhar a grandeza do clube, no que tem sido uma forma clara e exemplar de como ser adepto, de como ser ultra.


Deixo aqui a devida homenagem a todos os membros e ex-membros desta claque e os meus votos de que o crescimento do Directivo continue.


(Já que estamos a falar de aniversários, deixo aqui, também, um grande beijinho de parabéns à minha amiga Maria.)

Baixa de peso


"José Miguel Júdice será o mandatário de campanha do candidato socialista António Costa e estará hoje ao lado do ex-ministro na apresentação da sua candidatura. Júdice foi bastonário da Ordem dos Advogados e militante do PSD até há poucos meses. Na altura, revelou-se descontente com o rumo seguido pelos sociais-democratas e pelos partidos em geral, depois de vinte e seis anos de militância, tendo pertencido à tendência interna do PSD ‘Nova Esperança’."

in Correio da Manhã

Todos somos poucos e quando os homens competentes saem, o PSD perde. Foram dois anos de derrotas atrás de derrotas e tudo isto acontece à vista de todos os militantes. É, obviamente, uma situação que eu, enquanto militante do PPD/PSD, olho com muita tristeza.

Dois pesos, duas medidas



Quem diria que o líder do PSD, responsável pela situação actual da Câmara de Lisboa, que retirara a confiança política a dois vereadores e ao Presidente da Câmara pelo facto de estes terem sido constituídos arguidos, iria apresentar como candidato às eleições intercalares um homem que, também ele, é arguido...

Afinal não somos todos iguais, há dois pesos e duas medidas, somos objectos políticos, usados quando damos jeito.

Marques Mendes não teve a coragem de se candidatar a Lisboa, nem sequer de levar Paula Teixeira da Cruz a votos. Depois de várias tentativas, recusadas, a ideia que os lisboetas têm é que o PSD arranjou um candidato à pressa, sem pensar numa vitória nem em Lisboa. O PSD arranjou um candidato para ter candidato e não para ganhar as eleições, nem para resolver os problemas da cidade. Porque o tempo passava, o PSD tentava, mas ninguém aceitava ser candidato do PSD à Câmara de Lisboa...


E digo tudo isto com o máximo respeito por Fernando Negrão.

domingo, 13 de maio de 2007

Um milagre para este dia 13 de Maio





Lembro-me perfeitamente dos dias 12 e 13 de Maio, em 2000. Eu estava doente, de cama, quando o Sporting tinha a difícil missão de ganhar no terreno complicado do Salgueiros, num jogo onde o presidente do clube nortenho colocou os bilhetes à venda por 25 contos (125 euros)! A esperança era grande, mas era muito difícil ganhar aquele jogo. No dia seguinte, o Papa João Paulo II iria revelar o 3ºsegredo de Fátima. Eram dias de grande expectativa.
Nesse fim-de-semana, o Sporting ganhou por 4-0 esse jogo e o Porto empatou. Rapidamente, recuperei das terríveis dores de garganta e de cabeça que tinha, na altura, para ir, trajado a rigor para o velhinho José de Alvalade e para o centro da cidade de Lisboa, onde estava uma imensa multidão verde. Foi um dos grandes momentos da minha vida. Foi a primeira vez que vi o meu querido Sporting ser campeão, depois de 18 anos sem ganhar um campeonato.
Para que o Sporting seja campeão, há que ganhar o jogo deste domingo, 13 de Maio, em Coimbra, e o próximo jogo, em Alvalade, diante do Belenenses. Mas não chega. É, também, preciso que o Porto perca em Paços de Ferreira, contra a equipa local, que, no último ano e meio, apenas perdeu, para o campeonato, um jogo em casa. Se o Paços ganhar ao FC Porto e o Sporting vencer em Coimbra, tudo fica empatado na frente, embora o Sporting tenha vantagem pelos confrontos directos contra o FC Porto. E se ganhar ao Belenenses, o Sporting chega ao título.
Como se diz no fim de algumas orações, resta-me dizer: “ (que) assim seja!”

sábado, 12 de maio de 2007

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Luso-canadiana soma mais um sucesso


Em vez de colocar músicas de há 30 anos atrás, acho que é altura de olhar mais para o tempo que vivemos. Há, porém, por aí outras pessoas que também escrevem em blogues, que parecem estar a viver ainda noutro tempo...

A "nossa" Nelly Furtado, da qual confesso ser grande fã, parece estar bem encaminhada para mais um grande sucesso. Desta vez, com Justin Timberlake e Timbaland, a cantora luso-canadiana mostra continuar em alta.


Como não sei pôr logo aqui o video-clip da Nelly-Furtado, deixo aqui o nome e o link para verem o video-clip de uma música bem boa para se ouvir no Verão a ir ou a sair da praia...



Para quem quiser cantar: a letra

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Mendes não compareceu, o PSD ganhou!

Alberto João Jardim alcançou mais uma vitória notável para o PSD, na Região Autónoma da Madeira. Entre a obra que fez e a culpabilidade do Governo Socialista por aquilo que muitos entendem ser uma má lei, o nosso colega Alberto João Jardim acabou por reforçar o resultado alcançado nas anteriores eleições. Grande parte do mérito é também de Marques Mendes por não ter participado na campanha do líder do PSD Madeira. Estava mais entretido a destruir a cidade de Lisboa e o PSD no continente...

Solidário com os lisboetas neste dia tão triste para a cidade.



E o Comandante Mendes ordena: "Abandonem o barco! Salve-se quem puder..."




Hoje é um dia muito triste para os lisboetas, visto que no dia de hoje vão ser abandonados. A Câmara de Lisboa, eleita pelos lisboetas vai cair hoje, porque dezenas de vereadores do PSD decidiram abandonar o barco, fugir das dificuldades e cumprir ordens do comandante Mendes. Estou, por isso, solidário com os lisboetas neste momento triste da história da cidade.


E se os líderes do PSD, sobretudo Paula Teixeira da Cruz e Marques Mendes não assumirem as suas responsabilidade e não se candidatarem à presidência da principal autarquia portuguesa, tal facto vai voltar a colocar a sua credibilidade em cima da mesa.

sábado, 5 de maio de 2007

“Não se pode tratar o povo de Lisboa como se fosse uma Secção do PSD”


As palavras são de Telmo Correia, no “Frente-a-frente”, da SIC Notícias. Esta afirmação retrata toda uma triste realidade que Marques Mendes e Paula Teixeira da Cruz criaram em Lisboa.
É verdade que há bons e maus líderes. É verdade que toda a esquerda, e centro-esquerda, querem a manutenção destes dois líderes por muito tempo no PSD. Eu não quero. E vou mais longe. Num partido político deve haver espaço para todos, mas para todos os que queiram ajudar o partido e o país. Quem está contra estes objectivos não pode estar no mesmo partido. Marques Mendes foi fulcral na queda do governo social-democrata, criticando todas as semanas Santana Lopes e o governo do PSD.
0Foi com uma curta margem que chegou a líder do partido e desde o início que se tem mostrado um total opositor ao PSD e aos seus militantes. Contra a vontade dos militantes do partido, em Gondomar e em Oeiras, colocou nas listas do PSD candidatos fracos e perdeu estas duas Câmaras. O outro candidato que tinha o total apoio de Mendes foi Carmona Rodrigues. Contudo, foi mais uma vez fulcral para derrubar, desta vez, a Câmara de Lisboa, com uma lista que o próprio havia apoiado.
Mendes perdeu as suas três grandes batalhas e no referendo preferiu não ter uma opinião. Pelo menos, sem opinião não se ganha nem se perde. Lá isso foi inteligente. Se o PSD não ganha as eleições intercalares em Lisboa não há outra solução sem ser a demissão. De Mendes. E de Teixeira da Cruz.
Quem não percebe que os adversários estão lá fora, quem não quer que o próprio partido esteja no poder, não pode, nunca, ser líder. Muito menos quando falamos do PSD.
Mendes, em vez de estar em Lisboa a derrubar uma Câmara e a desonrar um compromisso, devia estar era na Madeira, dando força ao nosso colega Alberto João, para aumentar a oposição ao governo socialista.

Expresso da meia-noite


No “Expresso da Meia-Noite”, da SIC Notícias, esteve em debate a situação calamitosa com que se deparam os lisboetas, na Câmara. Numa conversa de 40 minutos, o único consenso foi a crítica a Marques Mendes, por ser o principal responsável pela instabilidade que se gerou na CML. Foi, também, levantada a hipótese de Carmona Rodrigues não renunciar ao mandato para se poder candidatar como independente. De resto, no dia de ontem houve uma grande manifestação de apoio à continuidade do Presidente por parte de centenas de funcionários municipais.
Esteve também em debate a situação financeira da Câmara, onde se percebeu que o caos a nível financeiro já vem do tempo dos socialistas. Foi também elogiada a obra que Santana Lopes e a sua equipa fizeram na capital do país. De resto, houve mais dois grandes momentos que devem, aqui ficar registados: o primeiro tem a ver com o facto de que quem trabalha na Câmara de Lisboa, deve ter amor à cidade e o segundo foi quando João Soares disse que tinha, neste momento, outras preocupações, visto ter sido pai há 3 semanas, não afastando, porém, a possibilidade de voltar a assumir o cargo de Presidente da Câmara de Lisboa, depois de o ter ocupado 6 anos seguidos, até ter perdido as eleições contra Pedro Santana Lopes.

Tréguas



Na sequência da apreensão da faixa de apoio ao Sporting, no passado domingo, no Estádio da Luz, fui, pelas duas e meia da tarde de ontem, recebido por Paulo Silva, director da organização de jogos do Sport Lisboa e Benfica. Em causa estava a apreensão por parte de um segurança de uma faixa de apoio ao Sporting, que levei para o jogo entre o Benfica e o Sporting.
Durante 40 minutos, estive com o meu amigo e, também ele, grande adepto do Sporting, João Faria, numa sala de reuniões do clube da Luz.
Se há algo de que se pode acusar os adeptos do Sporting é de exigência. Somos exigentes com a equipa e também devemos querer que o espectáculo não tenha erros. Porém, achámos que a apreensão daquela faixa, que, para nós, é muito mais do que um metro e pouco de pano verde, pintado com letras brancas, vir pedir, pessoalmente explicações aos responsáveis pela organização dos jogos. Há um valor simbólico naquela faixa, facto que não foi esquecido pelo sr.Paulo Silva.
Contudo, tendo em conta que houve uma demonstração grande de competência, quando o sr. Paulo Silva assumiu as responsabilidades pelo erro, decidimos ficar por ali. Foi, de facto, um erro e todos temos o direito de errar. Foi uma conversa muitíssimo interessante, em que houve uma compreensão das duas partes. Fomos muito bem recebidos, bem tratados e só não houve uma explicação, pelo simples facto de que foi um erro. Tendo em conta a coragem e o sentido de responsabilidade do senhor que comanda a segurança dos jogos do principal rival do meu clube, ao assumir o erro, ao explicar toda a situação e, sobretudo, devido ao excelente trabalho que este senhor desempenhou, visto que o jogo foi muito bem organizado, relativamente aos últimos jogos no estádio da Luz, decidimos, eu e o João, ficar por ali. Errar é normal e numa situação em que a adrenalina é imensa, visto que estavam milhares de ultras do Sporting mortinhos para entrar no estádio, estas situações acontecem. Era, de facto, apenas uma faixa com palavras de apoio ao Sporting e nenhuma razão havia para a apreensão.
Mas seria muito injusto, tanto quanto foi a apreensão para nós, se não respeitássemos o senhor e pedíssemos que nos pagassem o valor da faixa. Afinal, no fundo, naquela altura, há mais emoção que racionalidade, facto que levou o segurança a apreender aquela faixa. Foi um erro, que devia ser apontado, mas foi assumido, facto que acontece cada vez menos, em Portugal.
Pela disponibilidade, pela conversa, pela explicação e pela forma como fomos tratados, seria injusto se não publicasse, por escrito, este desfecho. Ficámos de acordo e agradecemos os elogios do senhor Paulo Silva, quando disse que tomámos a atitude certa, ao reclamar no momento e pedir explicações depois. É assim que deve ser e só assim se podem corrigir os erros, que, sublinho, cada vez são menos. Das duas partes, houve uma compreensão total e, nesse sentido, deixo aqui a minha total disponibilidade em fazer com que o Benfica – Sporting, do próximo ano seja ainda melhor.
É impossível eu adorar o Benfica, mas, pelo menos, pelo dia de ontem, já gosto um bocadinho mais…

sexta-feira, 4 de maio de 2007


"Eu abandono o barco e cumpro as ordens do chefe"


Estas palavras podiam muito bem ter sido ditas por Sérgio Lipari e por Amaral Lopes, que já anunciaram que vão renunciar aos cargos de vereadores da Câmara Municipal de Lisboa. Faltam à palavra com os lisboetas e desonram os compromissos. São os primeiros a mostrar não terem nem carácter nem personalidade, fazendo tudo a mando do sr.Marques Mendes. Isto, além de que mais uma vez mostraram ingratidão. Desta feita, foram ingratos para com Carmona Rodrigues, dado que, se não fosse ele, possivelmente, nunca ninguém iria saber quem estes dois são (o que não quer dizer que alguém saiba quem é o Amaral Lopes!)...Mas Lipari já é bem conhecido pelos relatórios e por aquele discurso que tão bem o caracteriza, ao estilo do Gato Fedorento.

Mas se forem pessoas como estas a sair, parece que o Carmona pode utilizar a velha máxima: "Antes só, que mal acompanhado".

É o "posso, quero e mando" de Marques Mendes que parece que vai mesmo fazer cair a Câmara do PSD, que muito custou a ganhar. Este péssimo serviço ao Partido, aos lisboetas e ao País, isso sim, devia ser motivo para ser expulso do Partido. Talvez, um dia mais tarde...

quinta-feira, 3 de maio de 2007

Lisboa e Oeiras, tão diferentes...


Enquanto militante do PSD, não acompanho bem a situação política na Câmara Municipal de Oeiras. Marques Mendes diz que o PS quer eleições em Lisboa e é aliado de Isaltino em Oeiras. Mas não é bem assim. O problema não é quando o autarca é arguido. O problema em Lisboa surge devido à intromissão do líder do Partido em matérias que, de todo, não lhe dizem respeito. Não tem nada que ver com o facto de Carmona Rodrigues ser arguido num processo, mas com a intromissão de Marques Mendes e de Paula Teixeira da Cruz na governação camarária, facto que gerou instabilidade e, como corolário disso, também trouxe a ingovernabilidade. Tudo por causa destes dois senhores, não por causa de Carmona Rodrigues (, Fontão de Carvalho, Gabriela Seara, etc…)!
O PS tem uma política diferente da do PSD. O PS quer ver Lisboa e Oeiras a crescer, pelo que, no caso de Oeiras, se aliou a uma candidatura independente para ajudar o projecto de Isaltino Morais. Em Lisboa, dado que o PSD tornou a situação da Câmara insustentável, por razões secundárias, o PS quer eleições para que a Câmara não esteja parada. Concluindo, no fundo o PS quer ver Lisboa e Oeiras activas e o PSD cria instabilidades desnecessárias, facto que só revela que o Partido não está preparado para estar no poder. O PSD não consegue fazer oposição ao Partido Socialista e vai fazendo oposição ao país no poder local.
Assim, em jeito envergonhado, digo que o PS tem dado uma lição ao PSD nesta matéria.

Carmona mostrou carácter e Mendes mostrou falta de liderança


Para dizer a verdade, Carmona Rodrigues surpreendeu-me muito. Fez um bom discurso e pôs o dedo na ferida. O que se passa na Câmara de Lisboa é da responsabilidade do PSD e dos seus líderes. Aquilo que interessa é a obra feita e o trabalho desenvolvido nestes dois anos. Tudo o resto, que é o que interessa ao líder do PSD, portanto as guerras pessoais, é secundário.
Carmona foi coerente, visto que deu a cara, tem cumprido o que prometeu e tem cumprido com a palavra, dizendo que vai, de facto, estar 4 anos a trabalhar para Lisboa e a defender os interesses dos lisboetas.
Quanto ao ditador Mendes, esse sim agarrado ao lugar, visto que, dado que foi ele próprio o responsável pela escolha de Carmona Rodrigues para dar a cara pelo PSD para a Câmara de Lisboa, devia colocar o seu lugar à disposição. O mesmo devia ser feito por Paula Teixeira da Cruz, obviamente. Na RTP, Mendes não teve coragem para falar do que se passa, não estava preparado nem à altura para ser líder de um grande partido como é, de facto, o PPD/PSD. Marques Mendes está a fazer oposição ao povo português, nomeadamente em Oeiras, Gondomar e, agora também, Lisboa.
Para metaforizar esta situação, havia dois tipos de desfechos para esta novela: ou um tiro a Mendes e a Teixeira da Cruz, se fossem a eleições e as perdessem, pelo que, consequentemente teriam de se demitir das suas funções no partido ou “morriam” apedrejados, com uma morte lenta, mas inevitável. Alguma destas irá acontecer, mas uma coisa é certa: toda esta situação deixa os líderes nacionais e distritais do partido num beco onde a única saída possível é a demissão.
Para não me alongar muito, Carmona Rodrigues não deixou dúvidas: ele é que deu a cara, ele é que ganhou as eleições e ele é que é Presidente da Câmara. Quer ficar, quer trabalhar. Se Mendes continuar este conflito, o futuro não se afigura nada famoso para o líder do PSD, visto que vai estar, publicamente, mais uma vez a desestabilizar os líderes do seu partido que ocupam cargos políticos, como tinha feito com Santana Lopes.
Quanto a Oeiras, a camaradagem de Marques Mendes odeia Isaltino. Talvez pela obra que o Presidente da Câmara de Oeiras fez nos últimos anos. Talvez por inveja, por nunca terem ganho nada por mérito próprio. Mas o Isaltino já não é do PSD. O que é que interessa falarem do Isaltino? Preocupem-se com o que interessa ao partido, que é Lisboa e as Câmaras que o partido tem. Segurem o que o partido tem e não se preocupem tanto com quem o partido já não tem, como Isaltino, que, na minha opinião, foi uma perda enorme para o partido.

Lisboa, uma posição


Muitos dos mais fiéis defensores de Marques Mendes têm elogiado a postura do líder do PSD, numa atitude que dizem ser de defesa da justiça e de procura da credibilidade entre os políticos. Mas não é assim. Marques Mendes, Teixeira da Cruz e os seus seguidores têm dado provas grandes da sua ignorância. Condenar os arguidos não traz credibilidade, ainda para mais quando os arguidos foram escolhidos por si.


O facto de se ter estado à espera que Carmona fosse à Sede Nacional do PSD é absurdo, porque as convicções do actual líder do partido não representam sequer as ideias de 10% dos portugueses, pelo que a continuação de Carmona Rodrigues na CML é legítima, não pelo facto de ser ou não ser arguido, mas porque a vontade dos eleitores lisboetas, expressa na autárquicas, a legitimou.


Carmona, enquanto Presidente da CML, deve estar concentrado nos problemas da cidade e deixar este jogo político sujo, e já cansativo, para trás. Há muito trabalho para ser feito em Lisboa e os lisboetas não podem esperar mais tempo. Há que pôr mãos à obra, olhar para Lisboa e resolver os seus problemas. Isso, sim, traz credibilidade à política.


Assim, Carmona tem ainda duas saídas: ou reforça o estatudo de "não-político profissional", pelo qual, orgulhosamente, se bateu na campanha eleitoral e cumpre com a sua palavra quando se candidatou e venceu as eleições, pondo os interesses de Lisboa e dos lisboetas à frentes dos interesses de Marques Mendes e de Teixeira da Cruz ou se re-apresenta aos lisboetas como um mau líder, sem personalidade e como um objecto usado por Marques Mendes para arranjar uns tachos...

quarta-feira, 2 de maio de 2007

José Mourinho, numa cinzenta manhã de nevoeiro...




Eu sou daqueles que acredita no sebastianismo. À minha maneira e com a minha leitura e interpretação da lenda, mas acredito. Quando vi José Mourinho dizer quando chegou ao FC Porto que “para o ano somos campeões”, lembrei-me logo desta História Mítica, conhecida de (quase) todos os portugueses.
Eu acredito que Mourinho, com a sua arrogância e o seu ego, é o D.Sebastião do século XXI, do futebol português. Acredito que pode ser um dos portugueses que vai conquistar pelo mundo fora, levando a todo o planeta o nome heróico que é o de Portugal.
Mas este ano, o mar esteve agitado, houve várias tempestades e a nau teve dificuldades para chegar até ao fim da viagem. Chegou, com muitas mossas, mas chegou ao fim. A armada sofreu várias baixas, principalmente a do comandante John Terry e a do sargento Cech. Foi um ano muito difícil para José Mourinho. Sem perder muitas batalhas, o melhor treinador do Mundo acabou por perder a guerra, mesmo nos últimos instantes, na infeliz noite de ontem, no “mata-mata” que são as dramáticas grandes penalidades. Em terras de Sua Majestade, também perdeu uma guerra contra os red devils apenas por pequenos detalhes.
Mourinho perdeu o Campeonato e a Liga dos Campeões. Pela primeira vez nos últimos 4 anos, o “special one” não venceu nem campeonato nem título europeu.
Durante vários jogos, achei que tomaria decisões diferentes ou em alturas diferentes das que ele tomou, mas quem sou eu (mero adepto e treinador de bancada) para questionar as decisões do treinador do Chelsea, mas a verdade é que Mourinho esteve infeliz nas aquisições que o patrão Abrahmovic fez, sobretudo a de Shevchenko, que foi durante grande parte da época o grande “cancro” da equipa do bairro rico da capital inglesa.
Contudo, os principais obstáculos que Mourinho enfrentou foram as lesões. Raramente, para não dizer nunca, teve o plantel todo à sua disposição. Desde Cudicini e Cech que estiveram lesionados ao mesmo tempo, passando por Ashley Cole, Terry ou Ricardo Carvalho. E daí para a frente, quase todos estiveram, pelo menos um jogo, indisponíveis.
Se Mourinho não ganhou a Liga dos Campeões, foi por muito pouco. E o mesmo se diz em relação ao campeonato. Puseram a fasquia demasiado alta para um mero clube de bairro que era o Chelsea quando Mourinho lá chegou. Em 3 anos, Mourinho foi campeão duas vezes. Fez melhor do que qualquer treinador do clube em toda a história do Chelsea, que até então só tinha ganho o campeonato por uma vez. Tornou o Chelsea num colosso europeu, um obstáculo difícil de ultrapassar. E o Chelsea tem, com Mourinho, um estatuto que nunca teve e, possivelmente, nunca iria ter.
É verdade que houve muito dinheiro para transferências e salários. Houve, também, condições excelentes para se treinar. Mas se não fosse Mourinho, o Chelsea nunca seria o que agora é.

A(s) morte(s) do(s) artista(s)



Marques Mendes e Paula Teixeira da Cruz têm três soluções: ou retiram a confiança política a Carmona Rodrigues e Marina Ferreira avança para a presidência da Câmara, ou provocam eleições antecipadas, avançando um deles como candidato à Presidência, pelo que me parece que Paula Teixeira Cruz seria a candidata do PSD à Câmara de Lisboa ou, como última solução, demitem-se, reconhecem o mau trabalho e a má postura que tiveram numa luta contra a Justiça e contra todos os arguidos, menosprezando e até condenando, na praça pública, alguns deles.
Segundo sei, a percentagem de arguidos que acabam condenados é de menos de 10%, pelo que a tarefa de os julgar cabe à Justiça, aos tribunais, nunca aos líderes de um partido político.
De qualquer maneira, Marques Mendes e Teixeira da Cruz acabaram por construir o seu próprio caixão. As soluções que têm neste momento são extremas e muitíssimo impopulares, pelo que das duas uma: ou voltam a não compreender a vontade da população, neste caso da população de Lisboa que votou em Carmona Rodrigues, ou voltam a ser incoerentes, visto terem feito tudo para que o governo do PSD, liderado por Santana Lopes, caísse, pelo simples facto de não ter sido sufragado.
A solução mais digna era marcarem uma data para eleições antecipadas. Tanto para a Distrital do PSD de Lisboa, como para a liderança nacional do Partido. Era o mínimo eticamente aceitável. Porque dizer que não têm confiança política não chega. Há que assumir a responsabilidade, visto terem sido eles os responsáveis pela escolha de Carmona para candidato, contra a opinião de grande parte dos militantes do PSD da cidade de Lisboa. Portanto, se retiram a confiança política, têm de marcar eleições para os órgãos do partido para os quais foram eleitos, reconhecendo a má opção que tomaram. Mas duvido que o façam, porque o apego ao poder é grande e todos os portugueses já viram o que lhes calha na rifa se votarem no PSD. Ouço a SIC Notícias, a TSF e várias conversas na rua, que Mendes e Teixeira da Cruz deviam ouvir. É arrasador!

Fui, desde o início, por uma questão de valores, respeito e boa educação contra a escolha de Carmona Rodrigues para candidato do Partido à Câmara de Lisboa. Isto, não por ter alguma coisa contra este candidato independente, mas simplesmente por achar que havia alguém no Partido com mais competência, capacidade de liderança e que merecia esta escolha. Essa pessoa, como todos sabem, era Pedro Santana Lopes. Hoje, certamente que muitos lisboetas reconhecem que o ex-Presidente da CML deixou obra feita. Lisboa foi feliz. A partir daí só houve instabilidade, não por causa de Carmona Rodrigues, mas pelas influências de Mendes e Teixeira da Cruz.

Mas sou coerente. Os lisboetas deram a vitória a Carmona Rodrigues e não a Marques Mendes nem a Paula Teixeira da Cruz. Votaram em Carmona para liderar, durante 4 anos, a principal Câmara do país. Por isso, deve continuar, se a sua consciência estiver tranquila, independentemente de qualquer tipo de pressões. Um cenário de eleições intercalares é ridículo e reforça a ideia de que mais uma vez o PSD só traz instabilidade. Ou melhor, Mendes, Teixeira da Cruz e companhia limitada trazem instabilidade tanto a nível nacional como local. E tudo por razões mesquinhas e para fomentar guerras pessoais contra companheiros do próprio partido.

Contudo, no caso de haver eleições antecipadas, quem deve avançar é Marques Mendes ou Paula Teixeira da Cruz e caso não as ganhem, devem pedir a demissão dos seus cargos e afastarem-se completamente da vida política. Pelo péssimo desempenho nestes últimos anos. Para bem do Partido e do País. É essa a vontade da esmagadora maioria dos portugueses.

terça-feira, 1 de maio de 2007

Perderam a vergonha

Segundo o Diário de Notícias, Marques Mendes quer Marina Ferreira.



Coerente com as incoerências que o caracterizam, Marques Mendes quer que Marina Ferreira assuma as funções de Presidente da Câmara de Lisboa. Há pouco mais de 2 anos, criticou Santana Lopes por ter substituído Durão Barroso, por não ter ido a eleições. Mais uma acha para uma fogueira cada vez maior, de um PSD onde se queimam uns aos outros.
Já vale tudo!

Instabilidade em Oeiras e Lisboa tem duas faces


A luta do PSD contra os seus militantes começou desde que Marques Mendes e Teixeira da Cruz assumiram os seus cargos como dirigentes nacional e distrital do Partido. A situação que se vive em Lisboa e em Oeiras deve-se às escolhas dos militantes que não foram aceites por estes dois senhores, que, desde o princípio, ousaram colocar os seus interesses pessoais à frente dos interesses da generalidade dos militantes do PSD.

Toda a situação que se está a viver agora era evitável. Bastava que os líderes do PSD cumprissem com a vontade dos militantes, que quiseram Isaltino como candidato a Oeiras. Certamente, a esmagadora maioria dos militantes do PSD do concelho de Lisboa não queria ver como candidato a uma Câmara, que por mero acaso só é a maior e a mais importante do país, um independente, que nenhuma prova tinha dado para merecer o estatuto de candidato do grande PPD/PSD à C.M.Lisboa.

Qualquer líder que compreendesse a vontade dos seus militantes e, mais do que isso, a aceitasse, colocaria como candidato à Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, e à Câmara de Lisboa, Pedro Santana Lopes. Pelo esforço que fizeram para as conquistar para o Partido e pelo trabalho que desempenharam.

O PSD tem dois pesos e duas medidas. Por exemplo, Leiria é diferente de Oeiras e de Gondomar. Porquê? Porque sim. Porque o dr.Mendes assim o quer. Nunca compreendi tal situação. Em Lisboa, o PSD decidiu não colocar Santana Lopes, simplesmente por motivos pessoais, optando por apoiar Carmona Rodrigues.

O motivo que fez com que o PSD, ou melhor, os líderes do PSD não apoiassem Isaltino, para Oeiras, foi o facto de o mesmo ser arguido. Que mal tem, ninguém sabe, mas os líderes do Partido decidiram condená-lo, apoiando uma senhora praticamente desconhecida dos oeirenses.
Hoje, Carmona é arguido e o PSD está numa embrulhada. Da qual Mendes e Teixeira da Cruz já não conseguirão sair. Mesmo que continue a fraude nas eleições para as Distritais e Secções, a derrota que Mendes e Teixeira da Cruz vão ter vai ser quando forem a votos entre os portugueses (se estes dois lá chegarem!). Sim, porque a estes ninguém impede de votar. E a derrota que o PSD vai ter será monumental...